O Imaculado Coração de Maria e o Escapulário Verde

O Escapulário Verde foi revelado por Nossa Senhora através de uma série de aparições à irmã Justine Bisqueyburn, religiosa das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, no ano de 1840 em Paris, França.

Na festa da Natividade de Nossa Senhora, no dia 8 de setembro de 1840, a Mãe de Deus apareceu segurando em Sua mão direita o Seu Coração Imaculado, rodeado de chamas e segurando na outra mão um Escapulário: um pedaço de pano verde, de forma retangular, pendurado em um cordel verde. De um lado está uma imagem de Nossa Senhora vestida com um longo vestido branco que chega até Seus pés descalços, usando um manto azul e sem véu: os cabelos caíam sobre seus ombros, e em suas mãos Ela segurava o Seu Coração Inflamado do qual jorrava sangue abundante.

Do outro lado do Escapulário foi retratado Seu Imaculado Coração, todo em chamas e transparente como cristal, e traspassado com uma espada, cercado por uma inscrição em forma oval e encimado por ima cruz de ouro. A inscrição dizia:

"Coração Imaculado de Maria, rogai por nós, agora e na hora de nossa morte"


Ao mesmo tempo, uma voz interior revelou à Irmã Justine que Deus quis estabelecer entre os homens o mais terno e confiante amor e apreciação pela Sua Amada Mãe, por meio da devoção a Ela através do título de Seu Coração Imaculado. Quando invocada sob este título e, através desta imagem, Nossa Senhora obteria grandes favores de Seu Divino Filho, especialmente quanto à saúde física, a paz de espírito e a conversão espiritual.

Maria Santíssima queria cópias do Escapulário feitas o mais rapidamente possível e distribuídos com grande confiança.

Depois de muitos atrasos e uma investigação minuciosa e cuidadosa, o Bispo local aprovou as aparições e estava pronto para permitir a propagação deste novo sacramental. Porém, havia várias questões sobre esta devoção que precisavam ser respondidas. Para resolver estas dificuldades, foi decidido que a Irmã Justine iria pedir a Nossa Senhora qual era a Sagrada Vontade de Deus sobre estes assuntos. Maria Santíssima respondeu durante uma aparição em 8 de setembro de 1846, exatamente seis anos após seu pedido inicial para a confecção do Escapulário Verde.

Nossa Senhora respondeu a todas as questões, como relatou a irmã Justine:

"...Este Escapulário não é como os outros (que não é a roupa do hábito de uma confraria), mas apenas duas imagens sagradas em um único pedaço de material. Portanto, nenhuma fórmula especial é necessário para abençoá-lo ou inscrever-se em confrarias. Basta que ele seja abençoado e usado por aquele a quem desejamos beneficiar por intercessão de Nossa Senhora. Se, por outro lado, a pessoa é incapaz ou mesmo não disposto a usá-lo ou carregá-lo, pode até ser colocado, sem o conhecimento da pessoa, em suas roupas, quarto, ou posses... Há apenas uma oração que precisa ser dita, pelo menos uma vez por dia: "Imaculado Coração de Maria, rogai por nós agora e na hora de nossa morte". Se a pessoa que é o beneficiária do uso do Escapulário não dizê-la, então alguém pode dizer que em seu lugar. O Escapulário Verde pode ser usado em qualquer lugar, por qualquer um. As maiores graças são anexadas ao seu uso, mas essas graças são mais ou menos grandes em proporção ao grau de oração, amor e confiança da pessoa."


A eficácia especial deste escapulário manifesta-se, sobretudo, em obter a conversão (que, por vezes, se julga impossível) dos pecadores considerados impenitentes ou já perdidos, principalmente quando, por ignorância ou desespero, recusam os Sacramentos.

O Papa Pio IX abençoou e aprovou este Escapulário por duas vezes: em 1863 e 1870.


Visite:
Filhas da Caridade de S. Vicente de Paulo - Província de Curitiba

Compartilhe: