Detente do Coração de Jesus (Bentinho)

Santa Margarida Maria Alacoque — como testemunha sua carta, escrita no dia 2 de março de 1686, dirigida à sua Superiora, Madre Saumaise — transcreve um desejo que lhe fora revelado por Nosso Senhor:

“Ele deseja que a senhora mande fazer uns escudos com a imagem de seu Sagrado Coração, a fim de que todos aqueles que queiram oferecer-Lhe uma homenagem, os coloquem em suas casas; e uns menores, para as pessoas levarem consigo”

Nascia, assim, o costume de portar esses pequenos Escudos.

Essa santa devota do Detente portava-o sempre consigo e convidava suas noviças a fazerem o mesmo. Ela confeccionou muitas dessas imagens e dizia que seu uso era muito agradável ao Sagrado Coração.


(à direita, imagem do Sagrado Coração que Santa Margarida Maria dava às suas noviças)

A autorização para tal prática, no início, foi concedida somente aos conventos da Visitação. Depois, foi mais difundida pela Venerável Ana Magdalena Rémuzat (1696-1730). Nosso Senhor a chamava a Sua segunda Margarida Maria (Alacoque) e lhe fez saber antecipadamente o dano que causaria uma grave epidemia na cidade francesa de Marselha, em 1720. Pedindo a Deus que o flagelo cessasse, soube por meio de revelação que alcançariam misericórdia todos aqueles que trouxessem consigo a imagem do Sagrado Coração, com a seguinte invocação:

Detém-te! O Coração de Jesus está comigo.

A história registra que, pouco depois, a epidemia cessou como por milagre. Não contagiou muitos daqueles que portavam o Escudo, e as pessoas contagiadas tiveram um extraordinário auxílio com essa devoção. Em outras localidades ocorreram fatos análogos. A partir de então, o costume se estendeu por outras cidades e países.

A cólera d''Amiens, em 1865, fez reviver este recurso sensível ao Coração de Jesus: um número considerável destes bentinhos foi espalhado por fervorosos cristãos, e sua fé alcançou também o mesmo prêmio.

Entretanto, um flagelo mil vezes mais terrível que a peste e a cólera devia brevemente cair sobre Paris e a França. As sementes de irreligião, blasfêmias e revoltas, às claras ou às escondidas, contra a Igreja de Jesus Cristo e Seu Vigário, de repente chegaram a manifestar-se; e bem depressa se viu a invasão, a fome, a guerra civil, o incêndio e o assassínio devastarem, arruinarem e dizimarem a pobre França.


O flagelo caiu sobre aquela nação e sobre muitas outras, as quais ainda não se curvaram diante do Senhor por meio de um verdadeiro arrependimento e de penitência pública: e os filhos de Deus, assustados e estupefactos à vista dos horríveis golpes da mão divina, se acolhem quase por instinto ao Coração de Jesus, como ao único e santo amparo, onde se encontra segurança. Maria Santíssima para ali os convida e seguindo as suas inspirações maternais, o bentinho do Sagrado Coração de Jesus vem juntar-se aos de Sua Mãe Santíssima.

Contudo, uma senhora romana, desejando saber a opinião do Sumo Pontífice a respeito do Bentinho, propôs-lhe o seu projeto, e Pio IX, comovido à vista deste sinal de salvação, lhe respondeu:

"Isto é, senhora, uma inspiração do Céu... Sim, do Céu".

E, depois de um breve recolhimento, acrescentou:

"Vou benzer esse Coração, e quero que todos aqueles que forem feitos segundo este modelo recebam esta bênção, sem ser necessário que algum outro padre o renove. Além disso, quer que Satanás de modo algum possa causar dano àqueles que trouxerem consigo o bentinho, símbolo do Coração adorável de Jesus".


Depois disso, levado pelos transportes de sua fé, compôs uma bela oração:

Abri-me o Vosso Sagrado Coração, ó Jesus!... mostrai-me os Seus encantos, uni-me a Ele para sempre. Que todos os movimentos e palpitações do meu coração, mesmo durante o sono, Vos sejam um testemunho do meu amor, e Vos digam sem cessar: Sim, Senhor Jesus, eu Vos adoro... aceitai o pouco bem que pratico... fazei-me a mercê de reparar o mal cometido... para que Vos louve no tempo, e Vos bendiga durante toda a eternidade. Amém.



Fontes:
Frente Lepanto
Folheto sobre o Bentinho do Coração de Jesus
Pode imprimir-se
Leiria, 6 de junho de 1987
Pe. Henrique Fernandes da Fonseca
Vigário Geral


Veja também:
Sagrado Coração de Jesus
A revelação do Sagrado Coração a Santa Margarida Maria. Compartilhe: