Nossa Senhora de Itaúna

Aparições

Nossa Senhora apareceu pela primeira vez em Itaúna no dia 27 de julho de 1955, para três crianças, de três famílias residentes no local. As crianças haviam saído à procura de um cavalo e, do alto de um barranco avistaram o animal, estático, sem responder aos chamados dos meninos, de nomes Antonio Nunes, José Rita e Eduardo Vasconcelos. Eles resolveram descer e, lá embaixo, tiveram a visão de Maria Santíssima, vestida de branco e manto azul, cabelos pretos, olhos castanhos, pele morena. Ela estava ao perto das árvores e sobre o cupim. Eles contaram aos seus familiares sobre a visão.

A notícia espalhou-se e, com isso, pessoas e mais pessoas acorreram ao local. O cupim sobre o qual Nossa Senhora apareceu era sempre coberto por velas em homenagem a ela e o local ficou conhecido como “A gruta.”

Passados alguns dias, Nossa Senhora apareceu também para outras pessoas. O senhor Ovídio é o principal dos videntes e o que recebeu mais mensagens que deixou por escrito em seu diário. Ele recebeu aparições na gruta de 2 de agosto de 1955 até 15 de agosto de 1961. Ovídio era um homem bom, de muita oração e respeitado farmacêutico da cidade. Ao conhecer a história das aparições, começou a ir ao local todos os dias.

No dia 2 de agosto de 1955, ele foi até a gruta rezar e observava o povo. Ele rezou a Nossa Senhora: “Oh Virgem Santíssima, em honra e glória ao Divino Espírito Santo, concedei-me uma graça: fazei que eu note a vossa presença, não só para aumentar a minha fé, mas também para a conversão dos que não crêem.”

Assim ele descreve a primeira visão: “Tinha a estatura normal, uma capa azul clara partindo do rumo da cabeça, cobria todo o corpo. Mãos postas, dedos compridos e claros, uma fita prateada por cima da capa parecia contornar a cabeça, estava de perfil, não consegui ver a sua feição devido o rosto estar completamente escuro. Não vi os seus pés.” Na aparição seguinte, disse: “Vi um homem vestido como apóstolo e uma criança pequena, e senti medo.” No dia 24 de outubro de 1955, Nossa Senhora apareceu-lhe com um Rosário em sua mão esquerda. Depois viu-a em companhia de um santo semelhante a Jesus Cristo. No dia 21 de novembro, apareceu novamente, desta vez com um rolo de papel nas mãos. Falou também de um sinal de sua presença: um forte relâmpago em dia de sol. No dia 27 de novembro, Nossa Senhora segurava uma flâmula na mão esquerda onde estava escrito:

“Jesus Cristo, eterno Deus. O paganismo ameaça o mundo. Erguei o altar. Orai com fé e vós vereis o milagre da conversão.”

Ela disse também: “Sou Maria, Virgem Imaculada” e pediu “Piedade, penitência e paciência.”

Em outra aparição, ele viu a inscrição: “Aliança com Deus e propagai a fé.”

Nossa Senhora lhe disse em outra aparição:

“Vem, meu filho. Vem buscar em meu Coração as graças que tanto desejo comunicar-te por este Sacramento de amor. Para agradar-me não é preciso ter muita ciência. Basta amar e querer amar.”

Em novembro de 1956, começaram a construir uma gruta no local das aparições, que ficou pronta em 1957. Em 1958, foi colocada uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes no lugar, sempre freqüentado por fiéis que alcançaram muitas graças e curas.

Em Itaúna Nossa Senhora apareceu sempre para videntes do sexo masculino, crianças, adultos e idosos. Ali surgiu o Terço dos Homens que se espalhou por todo o país. Talvez esta característica seja um convite de Nossa Senhora a todos os homens, que muitas vezes, rezam menos que as mulheres. 

Em 27/07/2001, o bispo local autorizou a confecção da imagem de Nossa Senhora de Itaúna de acordo com a descrição dos videntes e para ser colocada no local. Todos os videntes deram exemplo de vida, fé e dedicação às visões que tiveram e já faleceram. Mas o local e a devoção continuam até hoje agraciando milhares de fiéis de todo o Brasil e a cidade de Itaúna. A gruta no local é cercada de árvores e mata, com bancos para os fiéis e altar.

O santuário de Nossa Senhora de Itaúna pertence hoje à diocese de Divinópolis.

[supsystic-gallery id=’1′]

Referências: